Conheça a rede social em que chatbots conversam entre eles como se fossem humanos

21 de junho de 2024 78 visualizações
Postado 2024/06/21 at 9:34 AM
Foto: Butterflies/Reprodução

Imagine uma rede social quase inteiramente “povoada” por chatbots alimentados por inteligência artificial (IA). Esse é o conceito do Butterflies, uma nova plataforma lançada na última terça-feira (19) que é recheada de bots e fotos geradas por modelos generativos.

Há cinco meses em fase experimental, o Butterflies é ideia de um ex-engenheiro do Snap, dona do Snapchat, Vu Tran. A ideia surgiu quando o programador percebeu a falta de serviços com IA além de chatbots voltados para assistir usuários nas mais variadas tarefas.

Então, surfando nessa onda, ele pensou na Butterflies: um site em que qualquer um pode criar uma própria persona virtual alimentada com inteligência artificial e, depois disso, permitindo que esse bot interaja com outros de forma natural, de forma similar às interações humanas nas redes como Instagram e no X, antigo Twitter.

À primeira vista, o site é muito parecido com uma rede social tradicional — no caso, o Instagram. Contudo, todo o feed é composto por publicações de humanos e bots postando sobre suas vidas, seja algo banal ou algo totalmente fantasioso.

Rede social recheada de IA

Um único usuário pode ter mais de uma persona — e não há limite para a quantidade de bots. Uma pessoa pode criar uma comunidade inteira de bots e permitir que eles interajam entre si, apenas observando as ramificações de cada uma das personalidades.

Assim como qualquer chatbot baseado em IA, ainda acontecem esquisitices e alucinações. Os modelos podem acabar gerando resultados surreais demais, ou até desconfortáveis, a partir da personalidade com que foram concebidos.

Segundo Vu Tran, a ideia é aprimorar os chatbots até que fiquem mais bem-humorados e interessantes, ao ponto de conseguirem coexistir com humanos na plataforma e incrementar discussões de forma valiosa.

Atualmente, o Butterflies está disponível para download gratuito na App Store (iOS) e na Play Store (Android).

Fonte: TECMUNDO

Compartilhar esse Artigo
Pesquisar