Mais de 108 mil moradores de DF já aderiram ao RecadastraSUS-DF

Em entrevista, secretária de Saúde aborda vacinação, cirurgias e importância do recadastramento da população

23 de julho de 2023 361 visualizações
Postado 2023/07/22 at 9:12 PM
Foto: Tony Winston/Agência Saúde-DF

Mais de 108 mil moradores do Distrito Federal já aderiram ao RecadastraSUS-DF e atualizaram os dados pessoais com a Secretaria de Saúde. O dado foi apresentado neste sábado (22) pela gestora da pasta, Lucilene Florêncio, durante entrevista ao programa “Nas Trilhas da Verdade”, apresentado pelo deputado Jorge Vianna, que abordou assuntos como vacinação, cirurgias e a importância da iniciativa de recadastramento.

“Eu convido, chamo, todos os moradores do Distrito Federal, mesmo que não use o Sistema Único de Saúde, para nós termos uma atualização do cadastro”, afirmou Lucilene Florêncio. A pasta busca melhorar a comunicação com os usuários para tornar mais efetiva a atuação do Sistema Único de Saúde (SUS), pois o contato é fundamental para o andamento de diferentes serviços, como agendamentos de consultas, exames e cirurgias. “Nós vamos chegar onde a população está e no paciente certo que está precisando daquela cirurgia, daquele exame, daquela consulta, se o mapa certo para localizá-lo”, explicou.

É possível fazer o recadastramento presencialmente nas Unidades Básicas de Saúde, pelo Disque Saúde 160, na opção 5, ou pelo link https://portalcidadao.df.gov.br/recadastrasusdf. Além da oferta de serviços, as informações também são usadas para planejamento e gestão sobre a saúde da população.

Sete mil cirurgias

Lucilene Florêncio também destacou na entrevista a iniciativa de contratação de empresas da rede complementar de saúde para realização de cirurgias eletivas. Já foram lançados editais de credenciamento para as áreas de varizes, tireoide e oftalmologia, com 3.660 procedimentos a serem contratados, e já há autorização para quase sete mil cirurgias, com lançamento em breve de outros editais, nas áreas de urologia, otorrinolaringologia e coloproctologia.

“A pandemia fez essa demanda reprimida, então agora a gente precisa deslanchar e derrubar essa fila”, lembrou a secretária. A gestora detalhou que os recursos foram disponibilizados pelo Governo do Distrito Federal (GDF), por parlamentares e pelo governo federal. “A saúde é uma prioridade do governo, é uma prioridade da Câmara Legislativa”, afirmou. Além disso, destacou que todo o processo de contratação é avaliado pelo Ministério Público, Tribunal de Contas, Ministério da Saúde, Procuradoria-Geral do Distrito Federal e pelo controle social do SUS.

Lucilene Florêncio esclareceu que essas contratações se tratam de uma complementariedade, então, em paralelo, são realizadas ações para fortalecer as atividades no âmbito do SUS. De acordo com a secretária, os próprios hospitais da Secretaria de Saúde aumentaram em 28% a produção cirúrgica e estão em análise novas formas de contratação de médicos anestesiologistas, uma medida para ampliar a capacidade de realização de cirurgias.

Vacinação

A secretária de Saúde destacou a parceria com as escolas públicas do DF para ampliar a cobertura vacinal das crianças. “Até o mês de setembro vamos estar com todas as 450 mil crianças vacinadas nas escolas”, garantiu. Para isso, foi realizado um planejamento em que as Unidades Básicas de Saúde foram referenciadas para instituições de ensino da sua área e o plano é ter equipes de vacinação dentro das escolas para vacinar tanto crianças quanto professores e funcionários.

Lucilene Florêncio afirmou que estudos recentes apontam que as famílias têm maior aceitação das campanhas de vacinação quando ocorrem dentro do ambiente escolar. Além disso, lembrou das iniciativas diversas da pasta com a vacinação em ações externas, como a realizada no sábado em shoppings e no Zoológico de Brasília, atendendo desde bebês até idosos. “Hoje, nós estamos vacinando embaixo da árvore, na escola, no Eixão, na feira, no shopping… Fomos para a fila do filme Barbie. Estamos aproveitando todas as oportunidades”, disse.

Médica de carreira da Secretaria de Saúde desde 1999, a gestora ressaltou ser necessário haver uma recuperação na confiança nas vacinas para que as coberturas atinjam os índices considerados adequados para proteger contra as doenças. “Nunca uma reação adversa de vacina vai ter menos valor que a proteção, porque você cuida de você e cuida do seu irmão, do seu amigo, do seu filho, do seu pai, da sua mãe…”

*Com informações da Secretaria de Saúde do DF

Fonte: Agência Brasília

Compartilhar esse Artigo
Pesquisar