Samambaia recebe festival de mulheres grafiteiras neste sábado (13)

O evento, que reunirá os elementos da cultura do hip-hop, vai acontecer no Galpão do Riso, na quadra 405, a partir das 16h

13 de maio de 2023 419 visualizações
Postado 2023/05/13 at 10:19 AM
Com apoio do FAC, projeto valoriza a produção feminina no grafite e no universo cultural do hip-hop | Foto: Anna Menezes

O projeto 061 Citadinas leva para Samambaia neste sábado (13), a partir das 16h, o Festival de Mulheres do Grafitti e Artes Integradas. Com uma programação inteiramente feminina e gratuita, o público poderá prestigiar atrações da cultura hip-hop como rap, poesia falada, grupo de break com dança de rua (street dance) e a arte do Grafite, no Galpão do Riso, localizado na quadra 405, antigo Centro Comunitário da região. A iniciativa conta com o apoio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec).

Idealizadora do projeto, a professora de arte e educadora ambiental, Sabrina Falcão, que está há mais de 10 anos inserida no cenário do grafite, afirma que a iniciativa tem como foco aumentar a visibilidade à arte urbana pelo olhar das mulheres grafiteiras. “Com o projeto procuramos dar mais espaço para as mulheres se expressarem nas ruas, que é um lugar tão hostil para elas, tudo por meio da arte do grafite e de todos os elementos da cultura do hip-hop. Durante o evento iremos premiar as grafiteiras, como uma forma de reconhecer o trabalho delas”, explica.

A programação ficará por conta das rappers Donas da Rima, do grupo de break BsbGirls, e da poesia comandada por Caliandra Motolov. Para garantir a acessibilidade do festival uma intérprete de libras estará presente durante todo o evento.

Grafite de @_mend.y | Foto: Anna Menezes

Para a professora, o apoio do FAC foi fundamental para a iniciativa. “Acredito que essas políticas públicas são essenciais para fazermos com que as ações culturais aconteçam nas comunidades. O FAC nos permite fortalecer o nosso território, o que é algo presente na cultura hip-hop”, afirma Sabrina.

Concurso e incentivos para novas artistas

Além do festival, o projeto executou outras ações para fortalecer e incentivar a participação feminina no universo do grafite. Foram ministradas quatro oficinas de formação com jovens aprendizes, em Ceilândia, Sol Nascente e Samambaia.

Para as grafiteiras profissionais, foi feito um concurso para escolha das melhores obras artísticas nos muros do Galpão do Riso. Ao total, 21 grafites ganharam forma nos muros e dez foram selecionados por meio de votação nas redes sociais do festival. Os quatro melhores serão divulgados e premiados durante o festival.

Como resultado final do projeto será criado um site, uma galeria de artes digitais e um documentário com os artistas que participaram da iniciativa. “Estamos muitos felizes com os resultados do projeto, é algo inédito e inovador nesse formato para o universo do grafite”, conclui a idealizadora do projeto.

Fonte: Agência Brasília

Compartilhar esse Artigo
Pesquisar