Caiu no golpe do Pix? Confira como recuperar o dinheiro

23 de abril de 2024 71 visualizações
Postado 2024/04/23 at 9:33 AM
Foto: Getty Images/Reprodução

Uma ação que vem fazendo cada vez mais vítimas no Brasil é o tão falado golpe do Pix. Nele, os criminosos comumente se passam por uma pessoa conhecida da vítima e pedem dinheiro para pagar uma dívida ou supostamente comprar algo que precisam.

Infelizmente, em muitas ocasiões o valor solicitado por essas pessoas não é baixo, deixando a vítima com grande prejuízo financeiro. Entretanto, há uma forma de tentar recuperar esse valor, e é exatamente sobre isso que falaremos a seguir.

Como acontece o golpe do Pix?

Por se tratar de um movimento que explora uma vulnerabilidade da vítima, o golpe do Pix possui algumas formas diferentes de abordagens. As mais conhecidas estão a seguir:

  • Golpe do parente: a modalidade mais comum do golpe do Pix. Nela, o criminoso cria um perfil de alguém e entra em contato com seus familiares pedindo dinheiro. A abordagem padrão é dizer que precisa do valor para pagar dívidas;
  • Golpe do produto ou loja falsa: nessa variante, os criminosos criam o perfil de uma loja que não existe e vendem produtos conhecidos por preços mais baixos. Porém, tudo é apenas fachada, e após fazer o pagamento a vítima espera por um produto que nunca vai receber;
  • Golpe do investimento: o golpista entra em contato alegando possuir uma oportunidade incrível de investimento. Para participar, a vítima precisa fazer pelo menos um Pix para colocar as mãos em valores que não existem;
  • Golpe da central de atendimento: modalidade bastante comum que vem ganhando cada vez mais atenção. A abordagem mais comum é por meio do WhatsApp para informar valores de uma compra indevida, posteriormente pedindo para transferir seu dinheiro para uma “conta segura” (que é a do golpista).

Essas são apenas algumas das abordagens para o golpe do Pix, mas não as únicas. Por isso, todo cuidado é pouco e sempre desconfie quando alguém pedir para fazer uma transferência de valor mais alto.

Como recuperar o dinheiro do golpe do Pix?

De imediato, é bom ressaltar que as vítimas do golpe do Pix podem, sim, recuperar o dinheiro transferido para a conta do criminoso. Porém, as chances disso acontecer são extremamente baixas, já que geralmente as contas que recebem os valores são geralmente emprestadas.

Confira a seguir o que é necessário fazer:

  • Ao perceber que foi vítima do golpe do Pix, pare de falar com o golpista e, especialmente, fazer as transferências nos valores solicitados;
  • Crie arquivos dessas conversas, seja com capturas de tela salvas em seu dispositivo ou computador. Lembre-se de anotar também o número de telefone usado para a abordagem, e não bloqueie o contato: isso pode ocultar a conversa;
  • Documente também as transações realizadas, tentando manter nítidas informações como agência de destino, valores transferidos e horário da ação;
  • Em posse destes dados, entre em contato com o seu banco para acionar o Mecanismo Especial de Devolução (MED). Ele irá notificar a instituição financeira que recebeu o valor, e esta passará a monitorar as transações para tentar realizar a devolução;
  • Por fim, faça um boletim de ocorrência (físico ou virtual) para registrar de maneira formal que foi vítima de um golpe.

Vale lembrar que o MED pode ser acionado até 80 dias após o golpe. Além disso, o banco não vai tirar dinheiro do próprio bolso para devolver o montante perdido: ele retornará para a conta de origem em até 96 horas caso não tenha sido transferido. Todas as outras transações são monitoradas por até 90 dias para tentar reaver o dinheiro.

O que diz o Banco Central?

O Banco Central é a instituição máxima no Brasil entre os bancos. Por ser um golpe recorrente, ele alerta que a melhor forma para tentar recuperar o dinheiro é fazer a denúncia quanto antes.

“Quando uma pessoa percebe que foi vítima de uma fraude e fez uma transação Pix indevida, é essencial que atue rapidamente e registre o caso na instituição bancária, para que, por meio da infraestrutura do Pix a instituição de destino possa fazer o bloqueio dos recursos. Caso seja comprovada a fraude, é possível requisitar a devolução desses recursos”, explicou o Banco Central ao UOL.

Fonte: TECMUNDO

Compartilhar esse Artigo
Pesquisar