Número de crianças menores de 1 ano imunizadas com a vacina da pólio aumenta em 2023, aponta Unicef

Mesmo com avanço, é preciso continuar a busca pelas crianças não imunizadas no país para evitar a reintrodução da doença no Brasil.

23 de abril de 2024 75 visualizações
Postado 2024/04/23 at 1:28 PM
Aumenta o número de crianças que receberam a vacina da pólio — Foto: Myke Sena/Ministério da Saúde

Um levantamento feito pelo Unicef, com dados do Ministério da Saúde, apontou que o Brasil tem retomado a imunização infantil. Os números, divulgados nesta terça-feira (23), mostram que o número de crianças menores de 1 ano que receberam a primeira dose da vacina contra a pólio aumentou em 2023 em comparação com 2022.

  • Em 2022 nasceram 2,56 milhões de crianças no Brasil e foram aplicadas 2,32 milhões de primeiras doses do imunizante. Ou seja, 243 mil não receberam a primeira dose (ou 9,49%).
  • Em 2023 nasceram 2,42 milhões de crianças no Brasil e foram aplicadas 2,27 milhões de primeiras doses do imunizante. Isto é, 152,5 mil crianças ficaram sem vacina (ou 6,3%).

💉A imunização contra a poliomielite deve ser iniciada a partir dos 2 meses de vida, com mais duas doses aos 4 e 6 meses, além dos reforços entre 15 e 18 meses e aos 5 anos de idade.

A poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é uma doença causada por um vírus e, geralmente, provoca consequências graves, como perda dos movimentos, dificuldade ao falar, alterações no crescimento e até paralisia completa dos membros.

Luciana Phebo, chefe de saúde do Unicef no Brasil, explicou que a escolha da vacina da pólio como marcador da análise ocorreu porque há um risco importante da reintrodução da doença no Brasil.

Sabemos que a imunização vem caindo há muito tempo, desde 2015, mas observamos que essa queda está sendo revertida. Há uma diminuição de crianças sem vacina, mais de 90 mil crianças entre um ano e outro.

— Luciana Phebo, chefe de saúde do Unicef no Brasil

Youssouf Abdel-Jelil, representante do Unicef no Brasil celebrou a retomada da imunização no Brasil, mas reforçou que ainda há muito trabalho a ser feito. “É urgente encontrar e imunizar cada menina e menino que não recebeu as vacinas.”

Cobertura vacinal cresce em 2023

Imunização contra a poliomielite deve ser iniciada a partir dos 2 meses de vida — Foto: Marcos Barbosa/Comus
Imunização contra a poliomielite deve ser iniciada a partir dos 2 meses de vida — Foto: Marcos Barbosa/Comus

No ano passado, o Brasil conseguiu aumentar a cobertura vacinal de 13 dos 16 principais imunizantes do calendário infantil do Programa Nacional de Imunizações (PNI) se comparado a 2022.

A vacina contra a pólio está entre os destaques, segundo o Ministério da Saúde. Além dela, estão na lista:

  • pentavalente,
  • rotavírus,
  • hepatite A,
  • febre amarela,
  • meningocócica C (1ª dose e reforço),
  • pneumocócica 10 (1ª dose e reforço),
  • tríplice viral (1ª e 2ª doses) e
  • reforço da tríplice bacteriana (DTP).

Fonte: G1

Compartilhar esse Artigo
Pesquisar