Opinião: cuidados com a pele no período da seca e frio de Brasília

6 de junho de 2022 488 visualizações
Postado 2022/06/06 at 9:50 AM

O período de estiagem prolongado chegou em nossa cidade. É necessário redobrar cuidados com a saúde e adotar algumas medidas para hidratar o corpo e reduzir o sofrimento com a seca. Pois a queda dos níveis de umidade no ar tende a potencializar a desidratação e a sensibilidade da pele.

O inverno comprovadamente pode mudar a fisiologia da pele que, durante a estação, precisa de ainda mais cuidados. Uma boa forma de fazer isso é trocar o hidratante mais ralo por um mais denso, um creme mais potente à noite como uma máscara hidratante que repara a barreira lipídica da pele.

O inverno é o período em que os lábios mais ressecam, com mais facilidade que a pele do rosto. Isso acontece porque os lábios são a transição entre mucosa e pele. Nossos lábios têm componentes e comportamento de áreas mucosas, sem a presença de glândulas sebáceas e é justamente o sebo que favorece a hidratação. Ao sentir os lábios ressecados, o impulso é de passar a língua, mas este hábito é pior, por ressecar ainda mais a região. Então, abuse do protetor labial para manter a hidratação.

As rachaduras existentes nos pés são provenientes de ressecamento demasiado, podendo trazer um desconforto muito grande além de um aspecto esteticamente feio. Pés rachados podem acontecer o ano todo, mas no inverno a condição é ainda mais comum. Há diversos truques para potencializar a ação de hidratantes nos pés, como por exemplo caprichar na hidratação à noite e cobri-los com um papel filme ou meia grossa, ou os dois. O friozinho do inverno passa a ser o melhor período do ano para isso.

Quando as temperaturas caem é comum exagerar no banho quente e isso é bem ruim para a pele. A água quente tira a oleosidade natural da pele, o que afeta a barreira cutânea, desidratando-a. O ideal é equilibrar a temperatura da água e não demorar muito debaixo do chuveiro tão quente. A água pode ser morna, nesta temperatura, ela consegue remover a oleosidade da pele sem excesso e limpá-la sem agredir a barreira natural. Uma maneira de integrar a água fria à rotina de cuidados com a pele sem radicalismo é finalizar o banho morno com uma boa chuveirada fria por alguns segundos e sempre usar água fria quando for lavar o rosto.

A hidratação da pele não é só aparência, é questão de saúde, serve para recuperar a barreira cutânea, com todos os seus fatores de hidratação e proteção equilibrados, afinal a pele é uma barreira entre o interno e o externo do nosso organismo, então, tudo tem que estar equilibrado.

O hidratante é peça chave para isso, a pele precisa ser hidratada todos os dias. Pois o ressecamento fragiliza a pele podendo evoluir com coceira e agravar doenças eczematosas, dermatite atópica e até rosácea, podendo gerar escoriações na pele. Isso, por sua vez, favorece a entrada de bactérias e fungos, podendo gerar infecções cutâneas.

A hidratação da pele não precisa estar apenas concentrada em um frasco de creme hidratante, pode contribuir usando um limpador facial gentil, um tônico com adstringência suave, sérum e máscara com ativos hidratantes, equilibrando assim todo o processo de forma mais harmônica.

O inverno é, possivelmente, a estação do ano em que a pele do corpo mais sinaliza a necessidade de cuidar dela da mesma forma que se cuida da pele do rosto. O ressecamento da pele do corpo, no inverno, fica visível quando a pele das pernas e braços começam a descamar, ficando cinza e perdendo o viço.

Existe um conceito confuso se a pele oleosa fica ou não desidratada.
Quem tem pele oleosa pode pensar que a pele só está limpa quando está bem seca ou repuxando. Pele desidratada é uma pele sem viço, que é aquele brilho de pele saudável, que indica que a pele está íntegra, com um bom tônus. Geralmente, na pele oleosa pode ser mais difícil de ver, mas este é o sinal que mais denota uma pele desidratada.

Mas acontece geralmente quando se erra no controle da oleosidade e acaba com sinais claros de ressecamento como sensação de pele repuxando, ou até descamação. E é aí que se dá conta de que pele oleosa também precisa de hidratação.

Outro sinal de pele oleosa desidratada, que pode até confundir, é quando o excesso de oleosidade é um efeito rebote dos banhos quentes e prolongados nesta época do ano e o uso de produto que retira toda a oleosidade que a pele precisa para funcionar de forma saudável e ela compensa produzindo óleo em excesso.

É preciso saber escolher um hidratante para a pele oleosa, ele é específico e não piora a oleosidade ou provoca acne, deve-se optar por texturas leves e de rápida absorção, em sérum-gel, ou gel. Fórmulas não comedogênicas também são essenciais para não entupir os poros. Além disso, há ativos que são excelentes aliados para uma pele bem hidratada, por consequência saudável, como o ácido hialurônico e vitamina C.

📞 (61) 3965-8151
📱 (61) 99833-7979

📍 SHLS 716 (Centro Clínico Sul – Torre II) – Sala T207 (Piso da praça).
Asa Sul, Brasília – DF

Responsável técnica: Dra. Sanny França Pedrosa Tavares
CRM-DF 11801
RQE 3129

@drasannytavares

Tag
Compartilhar esse Artigo
Pesquisar