Ponto de vacinação prioriza atendimento à população com deficiência

18 de fevereiro de 2022 12 visualizações
Postado 2022/02/18 at 9:51 PM
O atendimento especializado às pessoas com deficiência funciona na estação de metrô 112 Sul | Foto: Tony Winston / Agência Saúde DF

Na manhã desta sexta-feira (18), na estação de metrô 112 Sul, começou a funcionar o ponto de vacinação com atendimento especializado às pessoas com deficiência. A parceria da Secretaria de Saúde com a Secretaria de Pessoa com Deficiência e com o Serviço Social do Comércio do Distrito Federal (Sesc-DF) possibilita maior acessibilidade e inclusão.

“Manifestamos a ideia para a Secretaria de Saúde e fomos prontamente atendidos”, comemora o secretário de Pessoa com Deficiência, Flávio Santos. “Se alguém tem uma necessidade específica de saúde, nós vamos trabalhar para atender”, destacou o secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache. O local foi escolhido porque, na galeria da estação, já são disponibilizados diversos outros serviços para pessoas com deficiência.

“A prioridade são as pessoas com deficiência, mas não perdemos nenhuma oportunidade de vacinar a população”, ressaltou o general Manoel Pafiadache. No local, é oferecida vacinação para o público a partir dos 12 anos.

Diferencial

“O diferencial aqui é o atendimento especializado para quem precisa”, disse a coordenadora de Saúde do Sesc-DF, Janaína D’Almeida. Pessoas com deficiência visual, por exemplo, contam com auxiliares para guiá-las. Como foi o caso do Renato Souza, deficiente visual, que tomou a dose de reforço e foi guiado pela equipe desde a entrada até a saída dali. “Ficou bem mais fácil, porque eu já costumo passar por aqui”, comentou.

O ponto de vacinação também conta com intérpretes de libras da Central de Interpretação de Libras (CIL) para auxiliar no acolhimento de pessoas surdas. “A CIL faz a ponte entre a comunidade surda e a comunidade ouvinte, que muitas vezes carece de informações relacionadas aos serviços de saúde, o que vai diminuir bastante com essa ação conjunta”, explica o gerente da CIL, Alexandre Castro.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Compartilhar esse Artigo

Navegue